Findicas

O blog da
Finplace

Como controlar o fluxo de caixa

Findicas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Em qualquer cenário, o empreendedor deve saber exatamente o que entra e o que sai de dinheiro na empresa. Caso contrário, corre o risco de perder o controle do seu negócio e entrar no vermelho. Em períodos excepcionais, como o que vivemos atualmente com a pandemia do covid-19 e as restrições das atividades comerciais, esse controle se torna ainda mais importante, na medida em que a busca do equilíbrio das contas (mesmo muito difícil no momento atual) passa a ser uma questão de sobrevivência.

A condição ideal de uma empresa ocorre, logicamente, quando entra mais dinheiro do que sai – ou seja, as receitas são maiores do que as despesas, o que configura um fluxo de caixa positivo. Para aumentar o fluxo de caixa, a empresa pode recorrer a medidas como o aumento das vendas, a redução dos custos operacionais, a antecipação das contas a receber e o adiamento das contas a pagar e até a venda de ativos. O fluxo de caixa negativo, evidentemente, acontece quando sai mais dinheiro do que entra.

“A diferença entre uma e outra situação depende basicamente do desempenho da empresa, o que envolve uma série de fatores”, diz Felipe Avelar, CEO da Finplace. “Seja qual for o contexto, o empreendedor deve ter à mão todas as informações relacionadas a receitas e despesas, diariamente, para avaliar a necessidade de utilização imediata do capital de giro ou de buscar recursos de outra fonte, como a antecipação de recebíveis, por exemplo”, acrescenta.     

Para começar, deve-se relacionar detalhadamente as contas a pagar e a receber e os compromissos assumidos para os meses seguintes, para estimar o ponto de equilíbrio com mais precisão. Caso a previsão seja negativa, a saída é renegociar dívidas ou procurar uma forma de aumentar o capital de giro, a fim de manter a liquidez da empresa.

Qualquer que seja a solução adotada, o controle cuidadoso do fluxo de caixa deve ser mantido, não apenas para superar os meses de crise, mas também para identificar problemas de liquidez, avaliar a conveniência de investir em determinada área e medir a rentabilidade do negócio. Para tornar mais fácil essa tarefa, o Sebrae criou uma ferramenta de fluxo de caixa bastante prática, que pode ser acessada gratuitamente, e que permite o conhecimento da situação financeira da empresa.

Tags

Cadastre-se
agora


Cadastre-se agora

É grátis e em apenas 1 minuto
você conclui seu cadastro!