Em matéria para Canaltech, a cofundadora da Finplace Patricia Rechtman conta o que as empresas perdem com a discriminação.

Imprensa

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Segundo o Center for Talent Innovation de 2019, 61% dos colaboradores homossexuais escondem sua sexualidade no trabalho com medo de perder o emprego e 41% já sofreram preconceito. Além disso, 33% das empresas já admitiram que não contratam pessoas da comunidade LGBTQIA+ para cargos de liderança.

 

Com dados agravantes como esses, Patricia Rechtman garante: “As empresas perdem talentos e capital produtivo quando não promovem ações capazes de permitir que o funcionário assuma sua identidade de gênero ou orientação sexual.”. 

 

Pode parecer um pequeno detalhe, mas empresários que não olham para essa realidade de seus colaboradores estão mantendo estereótipos prejudiciais para a sociedade e a própria sobrevivência do seu negócio. E isso vai muito além do mês de junho e posts arco-íris.

 

Como Patricia Rechtman expõe em sua matéria na Canaltech, é necessário fazer mudanças reais na cultura das empresas para aproveitar o potencial que essa liberdade de expressão dá para colaboradores e clientes, já que, estima-se que existe um potencial de consumo de, no mínimo, R$870 bilhões inexplorado para o público LGBTQIA+ (Out Leadership). 

 

O que as empresas podem fazer?

Assim como a plataforma financeira Finplace tem um Comitê de Empatia com o intuito de garantir que valores como a diversidade sejam propagados na empresa, outros negócios têm investido cada vez mais em formas de garantir que essas minorias tenham a oportunidade de mostrar seu papel no trabalho e sejam acolhidas por esses locais. 

 

Existem também projetos como o Transempregos, idealizado pela cartunista Laerte e outras empresárias, que qualifica profissionais transgêneros e procura facilitar suas buscas por emprego, assim como ajuda as empresas a proporcionarem um ambiente acolhedor.

 

Dessa forma, diminuímos padrões equivocados de realidades ultrapassadas que não cabem mais, dando suporte para que todos possam, verdadeiramente, ter oportunidade de mostrar seu potencial. 

 

Quer continuar essa conversa? Leia a matéria completa de Patricia Rechtman no Canaltech sobre o assunto. 

 

Tags

Cadastre-se agora!


Cadastre-se agora

É grátis e em apenas 1 minuto
você conclui seu cadastro!