Felipe Avelar, CEO da Finplace, fala sobre os efeitos da PEC Kamikaze para empresários no Portal Uai.

Imprensa

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

A PEC Kamikaze causa apreensão e divide opiniões na véspera das eleições de 2022.

 

Proposta de Emenda à Constituição, a PEC 1/2022, conhecida como PEC Kamikaze, prevê a liberação de gastos do governo federal para a criação de novos benefícios sociais ainda em 2022. Com a promessa de causar grandes efeitos na economia, Felipe Avelar, CEO do marketplace de crédito Finplace, deu sua opinião sobre essa previsão.

 

Em artigo para o Portal Uai, Avelar afirma que a proposta é apenas um paliativo para a grave situação econômica do pais, “mas a conta virá, e será alta”. Por um lado, a previsão é que benefícios como o Auxílio Brasil vão aumentar, o que irá permitir uma movimentação na economia com aumento de consumo das classes mais baixas que terão maior poder de compra. Isso significa que empresas de consumo doméstico devem aumentar suas vendas no final do ano.

 

No entanto, o outro lado dessa situação é que os efeitos não são duradouros e a situação econômica voltará a se agravar após o período de duração da PEC e, a partir de janeiro de 2023, os novos auxílios criados voltam ao patamar de antes.

 

Isso significa que o empresário sentirá os efeitos dessa queda ainda mais fortes, com mais demissões e falências. Segundo Felipe Avelar, “Para PMEs, em especial, esse é um cenário muito grave. Além do impacto na economia, que deve desacelerar com o fim do pacote de ‘bondades’, em 2013, juros em alta significam crédito mais caro e escasso.”

 

Quer ler na íntegra o artigo do nosso CEO? Acesse o site da Uai. 

Tags

Cadastre-se agora!


Cadastre-se agora

É grátis e em apenas 1 minuto
você conclui seu cadastro!