Findicas

O blog da
Finplace

O home office sobreviverá à pandemia

Findicas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

A pandemia do coronavírus passará, mas algumas das práticas adotadas durante esse período devem permanecer, entre as quais o trabalho remoto em escala maior do que a registrada anteriormente. De acordo com pesquisa feita pela companhia de serviços imobiliários Cushman & Wakefield com executivos de multinacionais que atuam no Brasil, 73,8% das empresas pretendem manter o home office quando a situação se normalizar. E para 85% dos executivos, a experiência tem mais pontos positivos do que negativos.

Outro levantamento, feito pela consultoria de recrutamento Robert Half, mostrou que 86% dos profissionais gostariam de trabalhar remotamente com mais frequência, quando tudo voltar ao normal. Do total dos entrevistados, 67% disseram ter certeza de que é possível realizar o trabalho em casa.

Se as empresas e os empregados aprovam o home office, resta saber o que pode ser feito para que o modelo se consolide. “Os benefícios para as empresas são evidentes, com destaque para a redução dos custos operacionais, desde a necessidade de escritórios menores até a diminuição de despesas com itens básicos como energia, equipamentos e manutenção”, avalia Felipe Avelar, CEO da Finplace. “Porém, cada empresa tem um contexto próprio, que deve ser analisado com atenção, pois envolve questões como a cultura corporativa e necessidades objetivas de cada segmento”, pondera.

Por suas particularidades, o trabalho remoto requer adaptações e, em muitos casos, um treinamento específico. É preciso, por exemplo, controlar melhor o tempo dedicado ao trabalho, considerando que o profissional não precisa se locomover até a empresa nem tem alguém do lado para supervisioná-lo. Dessa maneira, o foco nas tarefas a cumprir passa a ser especialmente importante, assim como a disciplina e o estabelecimento de um horário de expediente. O ideal é que a empresa estabeleça metas, para que o profissional saiba o que precisa entregar em determinado prazo.

Além disso, não é recomendável que o empregado fique afastado do dia a dia da empresa ou perca o contato com os colegas de trabalho. As palavras-chave do home office são autonomia e responsabilidade, e a empresa deve fazer sua parte. Ferramentas para videoconferências, gerenciamento de projetos e tarefas e comunicação instantânea com a equipe são essenciais nesse processo, mantendo o trabalho e o time organizados. “Tudo é muito novo para prever com exatidão como será o futuro do home office. Mas ninguém duvida que o trabalho a distância veio para ficar, desde que seja implantado de forma inteligente e bem planejada”, completa Felipe Avelar.

Tags

Cadastre-se
agora


Cadastre-se agora

É grátis e em apenas 1 minuto
você conclui seu cadastro!